Uniforme do Santos: qual é a origem do manto usado pelo Peixe?

O Santos Futebol Clube é notório por seu uniforme todo branco, que foi vestido ao longo da história por craques como Pelé, Serginho Chulapa, Giovanni e Neymar. O escudo do clube também traços fortes de preto, o que rendeu o apelido “Alvinegro Praiano”. No entanto, nem sempre foram estas as cores do Peixe. Você sabia que um dia o Santos foi azul e branco?

No dia 14 de abril de 1912, quando o Santos foi fundado, as cores sugeridas foram branco e azul, com um friso dourado entre as duas. O motivo? Estas eram as mesmas cores do Clube Concórdia, local onde acontecia a reunião. Os fundadores queriam agradar o dono do Salão.

No entanto, o padrão tricolor nunca foi utilizado pelo Peixe. O clube encontrou muita dificuldade em encontrar a cor dourada nos tecidos, além de que as cores se deterioravam após a lavagem.

Um ano depois, no dia 31 de março de 1913, o sócio Paulo Peluccio sugeriu as cores alvinegras. “Preto e branco. O preto da nobreza e o branco da paz”, teria afirmado Paulo durante a reunião que aconteceu na Sociedade União dos Empregados.

A estreia do uniforme alvinegro aconteceu no dia 13 de maio de 1913, contra o São Vicente Athletic Club. As camisas tinham listras grossas, verticais, pretas e brancas, com calções brancos e meias pretas. O Peixe venceu por 5 a 0, em data que marcava a comemoração de 25 anos da Lei Áurea.

Em 1915, o Santos teve que alterar o seu nome provisoriamente para disputar o Campeonato Santista, devido a APEA (liga no qual era afiliado) não o ter deixado usar seu nome oficial. Na ocasião, o uniforme da equipe era branco, com um escudo em forma de losango no peito escrito o nome “União FC” em uma faixa diagonal branca e fundo preto.

Dez anos depois, o Peixe usou um uniforme que era totalmente branco com uma faixa preta na altura da cintura, como um cinto. Este modelo foi usado no Campeonato Paulista de 1925, com um escudo bastante semelhante ao usado atualmente pelo alvinegro praiano.

Noas anos 30, o Santos teve o que provavelmente foi o uniforme mais inusitado de sua história: o calção era branco, porém, a camisa era de um tom avermelhado. Esse uniforme foi usado apenas em alguns jogos. O uniforme usado na conquista do Campeonato Paulista de 1935, era um totalmente branco, com exceção das meias que tinham detalhes pretos.

No início da década de 40, o Santos usou uma camisa que tinha largas listras horizontais em preto e branco, e o escudo usado era diferente do tradicional, nele o acrônimo SFC era entrelaçado e escrito em preto, dentro de um fundo branco.

O uniforme usado na década de 60, considerada a era mais vitoriosa do clube, era totalmente branco, com exceção da cintura que tinha o elástico preto. A gola possuia um formato de “V” e o escudo era grande e ficava a esquerda do peito.

Em 1968, o Santos adicionou acima do escudo na camisa, as duas estrelas representando os títulos mundiais de 1962 e 1963, há ainda registros de uma terceira estrela na camisa após a conquista da Recopa Intercontinental de 1968. O alvinegro praiano foi o primeiro clube brasileiro a utilizar estrelas no uniforme, realizando tal feito antes mesmo da Seleção Brasileira.

A partir dos anos 70, o uniforme branco e o listrado sofreram apenas duas grandes modificações. A primeira foi na década de 80, quando os patrocinadores começaram a surgir na camisa dos clubes, e a segunda foi nos anos 90, quando o Santos chegou a utilizar calções que tinham desenhos quadriculados e estrelados a fim de diferenciar-se do rival Corinthians.

Homenageando as cores de sua fundação, o Peixe lançou um terceiro uniforme com azul como cor predominante, em 2008. Em 2012, no centenário do clube, a mesma homenagem aconteceu, mas desta vez com um azul mais claro.

Hoje, o uniforme do Santos é fornecido pela Umbro, e segue os mesmos padrões históricos: primeiro uniforme branco e segundo uniforme listrado. A terceira camisa é em homenagem à Nigéria, por conta do episódio onde Pelé parou uma guerra no país, em 1969.