Sormani não tem papas na língua e diz que situação do Santos só tem uma solução

No último domingo (5), o Santos passou por mais um vexame e perdeu para o Ituano por 3 a 0, culminando em uma eliminação precoce no Campeonato Paulista. Por sinal, já são três temporadas consecutivas que o Peixe não alcança o mata-mata do estadual mais importante do país.

Coincidentemente, o clube decaiu de nível desde que Andres Rueda virou o presidente do clube. Rueda assumiu o mais alto cargo do Santos diante de diversas promessas, incluindo redução das dívidas, briga por títulos e muito mais. Entretanto, desde então, nada foi cumprido

Não conquistou nenhum título, ou pior, sequer chegou a disputar alguma final ou realmente ter tido chances de levantar alguma taça. Para piorar, foi eliminado de todas as competições sem nem mesmo brigar de igual para igual.

Quem não aliviou para a diretoria santista foi o jornalista Fábio Sormani. Após a eliminação da equipe no Paulista, ele não mediu suas palavras para massacrar a cúpula santista, focando no mandatário Rueda, e também não deixou barato para Paulo Roberto Falcão.

“Rueda é barbeiro; ou seja, um néscio. Seu último ato foi tentar ressuscitar um moribundo na esperança de que o mortiço pudesse renascer o Santos. Mas não deu certo: Paulo Roberto Falcão, infelizmente, não consegue reproduzir como dirigente o seu trabalho como jogador de futebol. E o Santos continua agonizando”, escreveu.

“O Santos tem um time ridículo que pode perfeitamente ser rebaixado! Tem um time ridículo porque é dirigido por um presidente desqualificado, talvez o pior da sua história. Um covarde que se esconde em casa e não acompanha o time, talvez por temer por sua integridade”, disparou

O modelo da SAF é a solução?

As SAFs (Sociedade Anônima de Futebol) vem crescendo cada vez mais, principalmente em equipes que precisam se restabelecer financeiramente, e buscam a  ajuda de um elemento externo.

No Brasil, o Vasco foi vendido a 777 Partners, dos Estados Unidos, o Botafogo a John Textor, o Cruzeiro a Ronaldo Fenômeno, o Bahia ao Grupo City, e o Bragantino à Red Bull.7

Segundo Sormani, a única solução para o Santos seria a mudança no estatuto e a transformação em um clube-empresa.

“A saída é a SAF. Alguém que compre o Santos, aporte dinheiro para que o time volte a ser musculoso e competitivo, que volte a brigar lá em cima, com os grandes, e não contra os periféricos. O Santos hoje briga contra os periféricos porque é um time periférico”, disse o jornalista.