Santos e WTorre bolam plano para nova Vila Belmiro

O Santos está cada vez mais próximo de acertar os últimos detalhes para iniciar a modernização da Vila Belmiro. A modernização do estádio deve custar aproximadamente R$ 400 milhões. Apesar de ainda não ter datas para o início da modernização, a diretoria santista estipula que ela começará no primeiro semestre de 2024.

Com isso, o prazo estimado para entrega da nova Vila Belmiro é de 24 meses, ou seja, dois anos. A tendência é que o estádio seja entregue pouco antes da Copa do Mundo de 2026. A nova arena santista contará com espaço para 30 mil pessoas.

Em entrevista ao Lance!, Cláudio Machado, CEO da WTorre (empresa responsável pela reforma), detalhou o modelo que será utilizado no novo estádio do Peixe. O formato, inclusive, é utilizado no Allianz Parque, casa do rival Palmeiras.

“A WTorre pretende adaptar partes do que é feito no Allianz Parque na nova Vila Belmiro. Os oito anos e meio de operação, em um modelo de negócios totalmente inédito no país, ajudam a empresa a entender o que é necessário e o que dá certo na realização de eventos, entre jogos, shows e ações privadas. O que vimos como gestores da arena nos fez entender como devemos fazer a operação, e há algumas características que entendemos que podem ser replicadas em Santos.”

Nova Vila

Grandes empresas mostraram interesse em negociar pela concessão legal para batizarem o novo estádio do Peixe. O projeto entre o Santos e a construtora tem a marca santista como um dos pilares. Todos envolvidos entendem que a rica história alvinegra traz muito valor agregado à arena e patrocinadores envolvidos.

A expectativa, inclusive, é que o valor dos naming rights não seja necessário para as obras. O custo previsto é de cerca de R$ 300 milhões. A captação dos recursos será via cadeiras, camarotes, mercado financeiro e capital próprio da WTorre, além dos naming rights. A venda do nome da arena para uma empresa não é vista como decisiva para viabilizar a construção.