Santos age na surdina e tenta investimento pesado em estrutura

O Santos está trabalhando nos bastidores da política para finalizar a compra do terreno do CT Rei Pelé junto ao Governo Federal. A estimativa do clube é gastar R$ 53,6 milhões pela aquisição do espaço, que é de posse da União.

Formas de pagamento, amortização dos valores e como eles impactam no orçamento alvinegro também foram fatores planejados pela diretoria. O espaço foi cedido pelo Governo Federal em 1996 e pertence à Secretaria de Patrimônio da União (SPU), órgão do Ministério da Economia responsável pela gestão do Patrimônio da União.

A SPU realizou análise e avaliou o terreno em R$ 71,5 milhões, segundo informado pelo órgão à reportagem. Estas cifras foram divulgadas inicialmente pelo jornal “A Tribuna”. O Santos, no entanto, entende que tem direito a um ‘desconto’ de 25% do montante, chegando aos R$ 53,6 milhões ofertados.

A redução do valor inicial se dá porque, em troca da cessão do espaço, o clube precisaria promover contribuições sociais. A direção alvinegra calculou que, com as benfeitorias, reformas e gastos ao longo dos 27 anos de administração do CT Rei Pelé, os 25% a menos resultam em uma proposta justa.

O Alvinegro pretende efetuar o pagamento dos R$ 53,6 milhões durante 240 meses (20 anos). Porém, o Peixe acredita que pode cumprir o acordo em curto prazo, amortizando a dívida com a venda de jogadores.

Santos se prepara para lutar contra assédio de treinador

O Santos está se preparando para evitar o assédio contra o técnico Odair Hellmann. Em baixa no Internacional, Mano Menezes pode ser demitido a qualquer momento no colorado. Um dos cotados para o cargo é Hellmann, que teve passagem bem sucedida no clube.

De olho no mercado pensando numa mudança de treinador, a diretoria do colorado fez uma consulta sobre a situação de Odair Hellmann no Santos. A informação foi publicada inicialmente pela Rádio Bandeirantes do Rio Grande do Sul e confirmada pelo Superesportes.