Relembre as tretas entre Ricardo Oliveira e Fernando Prass

O Clássico da Saudade, entre Palmeiras e Santos, ficou marcado no ano de 2015 por conta de uma rivalidade especial dentro de campo. Naquele ano, as duas equipes protagonizaram duas finais: a do Campeonato Paulista e a da Copa do Brasil. Além das farpas constantes, dois jogadores deram um “tempero” a mais para o clássico: Ricardo Oliveira, pelo Peixe, e Fernando Prass, pelo Palmeiras, embarcaram em uma grande “briga” naquele ano.

Ambos os jogadores atravessavam grande fase – enquanto Prass era considerado um dos melhores goleiros do Brasil, Ricardo Oliveira era um dos melhores atacantes. Na ocasião, o Santos conquistou o título estadual em cima do tima alviverde. Segundo Prass, o atacante do alvinegro praiano tentava “intimidar” os jogadores palmeirenses na final do torneio.

No entanto, o verdadeiro início do embate entre os dois atletas foi durante o Campeonato Brasileiro daquele ano. No jogo do primeiro turno, o goleiro alviverde acusou o atacante santista de ter lhe dado um soco durante um lance na pequena área. Em contrapartida, Ricardo afirmou que o goleiro palmeirense o agrediu sem a bola.

No segundo turno, a briga ficou ainda mais intensa. De maneira icônica e irreverente, Ricardo Oliveira comemorou um gol em cima do arqueiro fazendo uma careta. A partir daí, os dois jogadores passaram a trocar farpas durante praticamente toda a temporada.

A troca de farpas chegou ao fim durante a final da Copa do Brasil, e é possível afirmar que Prass saiu como o vencedor da “briga”. O Palmeiras foi campeão da competição em cima do Peixe, depois de uma disputa de pênalti. Na comemoração do título, o elenco do Verdão usou uma máscara com a “careta” de Ricardo Oliveira.

Após o episódio, os dois atletas “fizeram as pazes” após se encontrarem na fila de um banco. Prass afirmou que tudo o que aconteceu durante a temporada de 2015, ficou apenas dentro de campo, e que respeita Ricardo.