Quem foi Zito, o eterno capitão do Santos

Quando falamos do Santos da “Era Pelé”, geralmente lembramos dos talentos do Rei, de Coutinho e de Pepe. No entanto, o “comandante” e capitão da equipe na época também foi peça fundamental nas conquistas do clube na década de 60. Estamos falando de Zito, o “gerente” santista. Zito é um dos melhores e maiores meio-campistas da história do futebol brasileiro e um eterno ídolo do Peixe.

Ele nasceu no dia 8 de agosto de 1932, no que é hoje a cidade de Roseira, em São Paulo. Sua primeira partida com a camisa do Santos FC aconteceu no dia 29 de junho de 1952 em partida amistosa na Vila Belmiro na vitória diante do Madureira do Rio de Janeiro pelo placar de 3 a 1 com gols de Hugo (2) e Tite.

Zito jogou pelo Santos em 726 partidas marcando 57 gols. O jogo em que se despediu dos gramados aconteceu no dia 07 de novembro de 1967 na goleada frente ao Combinado Fortaleza/Ferroviário no Presidente Vargas, por 5 a 0. Curiosamente, quem o sucedeu Zito na posição de guardião da defesa santista usando a camisa 5, foi o seu herdeiro não só no Santos como também na Seleção Brasileira, o jovem Clodoaldo Tavares Santana.

Na Seleção Brasileira, Zito foi bicampeão mundial em 1958 e 1962 jogando com a amarelinha 50 partidas e marcando 3 gols. No Peixe, ele conquistou os seguintes títulos: Campeão Mundial nos anos de 1962/1963; Campeão Sulamericano nos anos de 1962/1963; Campeão Brasileiro nos anos de 1961 a 1965; Campeão do Torneio Rio-São Paulo nos anos de 1959/1963/1964 e 1966; Campeão Paulista nos anos de 1955/1956/1960/1961/1962/1964/1965 e 1967.