Quando o Santos foi “garfado” contra o Boca na Bombonera

O último grande desempenho do Santos em uma Copa Libertadores foi em 2020, quando o Peixe chegou na final da competição contra o Palmeiras e foi vice-campeão. Na trajetória da equipe no mata-mata, o alvinegro praiano eliminou o Boca Juniors na semifinal após vencer por 3 a 0 no agregado, resultado que foi construído apenas no jogo de volta, na Vila Belmiro.

No entanto, o confronto contra o time argentino não foi necessariamente um dos mais tranquilos. Isso porque no jogo de ida, em La Bombonera, o Peixe foi “garfado” pela arbitragem no que foi um empate em 0 a 0. A polêmica da partida aconteceu aos 29 minutos do segundo tempo, quando Marinho foi derrubado por Isquierdoz na grande área.

O juíz Roberto Tobar não marcou o pênalti e o lance sequer foi revisado no árbitro de vídeo. Na época, diversos comentaristas de arbitragem afirmaram que foi um penalti claríssimo não marcado pela equipe de arbitragem. Até mesmo o jornal argentino “Olé” admitiu que o Peixe foi prejudicado.

“A ação deixou muitas dúvidas. Buscaram de um ângulo, checaram de outro e nada. Não encontraram nenhum ângulo que ayude Tobar (Roberto, árbitro chileno) a mudar sua decisão. Na verdade, ele nem foi ver. Mas Izquierdoz errou e Boca se safou do pênalti”, aponta um trecho do jornal.

“Sem dúvida, existiu uma jogada polêmica que poderia ter mudado o rumo do encontro. Houve pênalti para o Santos? Os primeiros replays da televisão deixavam dúvidas, mas logo se vê claramente quando Izquierdoz engancha a perna direita quando o atacante (Marinho) já havia tocado a bola e o defensor do Boca não tinha chance de chegar”, afirma o Olé.