Por que Santos não aceitou vender John ao rival, mas emprestou para o Inter?

Nesta terça-feira (11), o goleiro John se despediu oficialmente do Santos, e se transferiu por empréstimo rumo ao Internacional. Mesmo com apenas duas partidas disputadas em 2022, o arqueiro atraiu interesse de muitos clubes.

O Peixe recusou duas propostas de compra do São Paulo, mas acabou aceitando uma de empréstimo do Colorado. Ambos são adversários diretos do clube, então porque a diretoria optou em negociar com os gaúchos?

John foi criado e revelado nas categorias de base do Santos, subindo ao profissional em 2016. Todavia, só fez sua estreia em 2020. Durante este período, foi emprestado à Portuguesa Santista.

Conquistou seu espaço no Peixe durante a campanha na Libertadores de 2020, competição a qual o time chegou à final. Foi a melhor temporada do arqueiro no clube, disputando 15 partidas. 

No ano seguinte, disputou 11 jogos, mas acabou sofrendo com problemas físicos. Em 2022, viu João Paulo assumir de vez a titularidade e atuou em apenas duas partidas. 

O jogador virou alvo de importantes clubes do Brasil, como São Paulo, Vasco, Botafogo e Bahia. O clube do Morumbi chegou a oferecer mais de R$ 6 milhões para contar com os serviços de John, valores considerados altos pelo estafe do atleta.

Para a diretoria comandada por Rueda, se John valia todo este dinheiro sendo reserva, seu valor iria aumentar muito caso fosse titular. 

Oferta diferenciada

Com a vontade iminente de abandonar o clube por parte do goleiro, o Internacional não perdeu tempo e apresentou uma proposta diferente das que o clube havia recebido nos últimos meses, visto que o Colorado quis o empréstimo.

John ficará em Porto Alegre até o final da temporada, e caso o Inter queira se manter com o jogador, terá que pagar um valor (que não foi revelado) ao Santos. A tendência é que a quantia seja superior a R$ 8  milhões.

Com o negócio, o Peixe vendeu 15% dos direitos de John ao Inter por R$ 1,4 milhão, recebeu de John os 30% dos direitos econômicos que pertenciam ao jogador, renovou seu contrato até 2025, e não pagará seus vencimentos até o final de 2023.

Logo, o Santos avalia o valor de mercado do goleiro em algo em torno de R$ 9 milhões,  já que vendeu 15% por R$ 1,4 milhão. Nenhuma das ofertas de compra que o clube recebeu chegou a esse valor.