Odair pede desculpas e surpreende ao falar sobre pressão

Em uma tarde chuvosa, o Santos visitou o São Paulo e saiu derrotado pelo placar de 3 a 1, no Morumbi. Vale lembrar que há uma semana, o Peixe perdeu para o Palmeiras, também no mesmo estádio, e pelo mesmo placar.

O Alvinegro agora é o último colocado no Grupo A com nove pontos, cinco atrás do líder Red Bull Bragantino. A pressão sobre Odair Hellmann é maior do que nunca, e sua equipe tem que começar a abrir os olhos para não flertar com rebaixamento, além de lutar o máximo possível para se classificar ao mata-mata.

Quando questionado acerca da pressão por resultados, o comandante santista disse que é uma responsabilidade da diretoria. Todavia, na mesma hora o vice-presidente do Santos disse que uma mudança de treinador está descartada no momento.

“Eu estou muito consciente daquilo que vim para fazer. Do trabalho que tento desenvolver. Sabia que não seria fácil. Sabia que teríamos dificuldades. (…) A avaliação do treinador é feita pelo Falcão, pelo presidente, pelo CG. Eu estou dando meu melhor. Durmo e acordo pensando no Santos. Se o clube, a direção achar que o meu trabalho não está sendo o suficiente, é assim no futebol”, iniciou.

“Eu acredito que vamos conseguir, que vamos conseguir estabilizar e gerar melhores resultados ao Santos”, disse.

Avaliação da partida e desculpas aos torcedores

Com duas derrotas em clássicos até aqui, Odair prometeu maior empenho da sua parte, e pediu desculpas aos torcedores pela má fase que o time vem enfrentando neste começo de Campeonato Paulista.

“Queria pedir desculpa pelo não resultado. Dois resultados ruins nos clássicos. Temos de fazer avaliações corretas do acontecido para que possa melhorar. Eu também estou muito triste. Falei isso aos torcedores, quando tive oportunidade de falar pessoalmente. Quero pedir desculpa pelo não resultado. Eu acredito. Vamos trabalhar muito, vou me dedicar, para conseguir uma solução para estancar essa situação”, admitiu.

Finalizando, o treinador deu a sua opinião sobre a partida até tomar o primeiro gol, após uma cobrança de falta de Wellington Rato e a cabeçada de Calleri, que contou com uma falha de João Paulo. 

Segundo o treinador, a equipe do Santos não fazia um mau jogo, inclusive acreditando que estava melhor do que o rival naquele momento, citando as expulsões de Lucas Pires e João Lucas.

“Na minha avaliação, e eu posso até estar errado, mas estávamos melhores na partida. Estávamos consistentes, saindo mais, gerando perigo, até tomar o gol de bola parada. Bola parada é defender o melhor possível, duelar na área, gerar espaços. Mas o gol não foi pela nossa organização, com a bola no chão. Jogamos com dois a menos e 2 a 0 no placar. O que o São Paulo construiu?” questionou Odair.