O chamado “apagar das luzes” mantém o Santos vivo no Paulistão

O Santos vem tendo um começo bem instável neste Campeonato Paulista. Sob o comando do técnico Odair Hellmann, a emoção e a imprevisibilidade da equipe se tornaram fatores cruciais.

Depois de começar mal o ano e chegar a flertar com o rebaixamento à Série A2, o Peixe entra na última rodada da fase de grupos do estadual mais vivo do que nunca, graças aos gols marcados nos minutos finais das partidas.

Em 11 duelos disputados até aqui, o Alvinegro da Vila Belmiro colocou a bola no fundo da rede adversária em 14 oportunidades. Destes, metade aconteceram a partir do  39º minuto do segundo tempo, como nos jogos contra Mirassol, São Bernardo, Palmeiras, São Bento, São Paulo, Santo André e Corinthians.

Nove dos 14 pontos que a equipe possui na competição vieram com gols perto do apito final. Tirando contra o Palmeiras e São Paulo, quando os gols não mudaram o placar, todos os outros garantiram pontos aos comandados de Odair.

Contra o Mirassol, na estreia no ano, o Peixe fez o gol da vitória aos 49 minutos do segundo tempo. Diante do São Bento, Lucas Barbosa marcou aos 39 minutos da etapa final. 

Pensando nos empates, o Alvinegro conquistou três pontos tardios diante do São Bernardo, Santo André e Corinthians. No clássico do último domingo, Marcos Leonardo balançou as redes aos 44 minutos do segundo tempo.

Domingo decisivo

O Santos chega à última rodada da fase de grupos com chances de se classificar. A equipe está empatada com o Botafogo-SP na pontuação (14 pontos cada), mas o time de Ribeirão Preto está com a vice-liderança da chave por conta do número de vitórias (quatro contra três).

No domingo, às 16h (de Brasília), o Peixe encara o Ituano, fora de casa, para decidir seu futuro. Para se classificar, o Santos precisa vencer torcer para o São Paulo tirar pontos do Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

Em caso de um empate em Itu, os torcedores do Santos devem torcer para o São Paulo derrotar o Botafogo-SP.