Mas afinal: qual é o verdadeiro mascote do Santos?

Em 111 anos de história o Santos mudou de mascote algumas vezes até encontrar em 1944 o seu atual. O símbolo do clube inicialmente era uma forma de provocação pejorativa que foi adotado por jogadores e torcedores.

O Santos é popularmente conhecido como “Peixe”, mas afinal esse é o mascote do clube? Inicialmente o apelido “Peixe” era recebido por rivais de forma pejorativa para desestabilizar a equipe, chamavam assim porque achavam o Santos um time fraco e fácil de ser derrotado.

Com o tempo, os jogadores e torcedores foram abraçando o apelido e passaram a se identificar com orgulho como “Peixe”. A partir de 1921, o “Peixe” começou a ser associado ao Santos como mascote. Na década de 30, o cartunista João Brito (João do Charuto) passou a ilustrar nas páginas da Gazeta Esportiva, o “Peixe” como mascote do clube, contribuindo para a popularização.

O peixe foi substituído pela baleia 

Em 1944, o cartunista Nino Borges criou divertidas charges na Gazeta Esportiva representando o Santos com uma baleia. A ideia de substituir o peixe, por um outro animal marinho que fosse mais imponente agradou aos torcedores. Assim, a baleia começaria a se tornar o mascote do clube.

O cartunista Messias de Melo, do Jornal A Gazeta Esportiva, desenhou a baleia como mascote oficial do clube. A baleia orca ganhou popularidade e carinho da torcida e se tornou parte da identidade do Santos.

Na década de 50, o Santos reconheceu oficialmente a baleia como o mascote oficial. A baleia representando a força e a identificação do clube e da cidade de Santos com o mar ganhou um lugar especial no coração dos torcedores do Santos.

Em 2006, o Santos criou a dupla de mascotes, Baleião e Baleinha, que representam o mascote do clube e animam a torcida antes dos jogos. No final, o “Peixe” foi substituído pela Baleia como mascote oficial do clube, mas o apelido de “Peixe” ficou para sempre.