Leila entrou no caminho do Santos, tomou estádio e Rueda está de mãos atadas

Há uma discussão na história do Santos que nunca irá terminar. Os torcedores da equipe que moram na capital paulista, pedem que a diretoria mande mais jogos na cidade de São Paulo, enquanto os torcedores da cidade natal do time preferem que os jogos sejam mandados no estádio da equipe, a Vila Belmiro.

Fato é que os torcedores da cidade de Santos são ‘beneficiados’ historicamente e, nos anos em que o Pacaembu está fechado para reforma, o torcedor santista da capital está quase órfão, tendo em vista que foram raras as vezes que o Alvinegro Praiano jogou mais próximo ao seu torcedor da capital.

A última vez que o time santista jogou na capital foi em fevereiro, quando empatou com a Ferroviária, ainda pelo Campeonato Paulista. O jogo foi realizado no Canindé, mas a cúpula do Santos entende que o estádio não está pronto para receber jogos da Série A do Brasileirão.

Leila Pereira diz ‘não’ e Santos não deve jogar em Barueri como mandante

Outra opção que surge é a Arena Barueri, o Peixe nunca foi derrotado no estádio e tem bom retrospecto de público quando joga na cidade, entretanto, a presidente do Palmeiras, Leila Pereira, vetou o uso do estádio. A mandatária alviverde tem esse direito pois realizou um acordo com a prefeitura da cidade em que o estádio fica localizado, para jogar partidas na Arena quando a sua casa estiver indisponível.

Com isso, as opções para jogar como mandante fora da cidade de Santos ficam escassas, os estádios dos rivais como Corinthians, São Paulo e Palmeiras, possuem aluguéis caros na visão da diretoria santista.

A ideia do Santos era mandar pelo menos um dos seus próximos jogos na Arena Barueri, mas com a recusa do Palmeiras, as próximas três partidas contra Coritiba, Cuiabá e São Paulo, estão confirmadas para a Vila Belmiro, enquanto os confrontos contra Fluminense e Fortaleza ainda não possuem estádio definido.