Falcão não pensa duas vezes, sai em defesa de Odair e faz um pedido

Após pressão da torcida por uma demissão do técnico Odair Hellmann, Paulo Roberto Falcão, coordenador esportivo do Santos, voltou a defender o comandante do clube. Em entrevista ao Sportv durante o sorteio da Conmebol da fase de grupos da Copa Sul-Americana, o diretor pediu calma e tempo ao treinador.

O tom das críticas mudaram após a eliminação do Santos na fase de grupos do Campeonato Paulista desta temporada. Inclusive, os comentários negativos não foram apenas da torcida, e os próprios membros do Conselho criticaram e exigiram a saída do técnico, que foi mantido pelo presidente Andres Rueda.

“Tem de parar com essa troca de treinador toda hora. Isso significa muitas vezes uma despesa ainda maior dos clubes. Tem de ter convicção. Claro que convicção se forma ao longo do tempo, não vem da noite para o dia, mas os times têm de dar mais espaço para seus treinadores. E tem de contextualizar as coisas. O Santos tem vários jogadores no DM.. Isso pesa num elenco pequeno. Sabemos disso. Claro que as pessoas de modo geral não têm a obrigação de ver isso, mas quem está no clube tem de ver”, disse.

Problemas nas negociações no mercado

Quando questionado acerca de possíveis novos reforços no Peixe, Falcão revelou que o clube tentou ir ao mercado, mas recebeu diversas recusas dos próprios jogadores, além dos clubes. 

Sem o aporte financeiro para negociações de alto nível, a diretoria santista fracassou nas contratações dos meias Jean Lucas e Diego Pituca, além do atacante Ademir. O clube ainda sonha com o zagueiro Lucas Merolla, do Huracán (ARG), apesar de ser considerado um negócio complicado, além do lateral-esquerdo Jamerson, do Goiás.

“Estamos sempre procurando qualificar ainda mais o plantel. Esse é o objetivo. E estamos procurando também segurar jogadores que podem ser importantes para nós. O time que quer chegar a um nível superior tem de estar atento ao mercado, mas sempre sabendo dos problemas econômicos que os times enfrentam”, iniciou.

“Não foi por falta de empenho e proposta do presidente que jogadores não vieram, mas por que às vezes resolvem ir para outro lugar”, completa Falcão.

O Santos volta a campo na próxima terça-feira (4), pela primeira rodada da Copa Sul-Americana. Na ocasião, viaja à Bolívia para encarar o Blooming, às 21h30 (de Brasília). A partida será transmitida pelo SBT e ESPN.