Dybala não veio para o Santos por ser “jogador de Série B”

Paulo Dybala é um dos principais nomes da geração de jogadores talentosos da Argentina nos anos 2010. Com uma bela trajetória na Juventus, o atacante foi negociado com a Roma neste ano, sendo recepcionado por milhares de torcedores em sua apresentação. Apesar de não ter correspondido as expectativas de ser um “novo Messi”, Dybala já teve fases onde atuou como um craque em nível mundial. E você sabia que o argentino poderia ter jogado pelo Santos?

Em 2011, Dybala atuava pelo Instituto Atlético, time da segunda divisão do Campeonato Argentino. Ele tinha acabado de realizar sua estreia como profissional e rapidamente se tornou referência no clube, que disputava ponto a ponto a liderança da Série B argentina com o River Plate, que havia sido rebaixado por xxxx.

Antes do fim da temporada, um fundo de investimento inglês chamado Pencilhill Limited, representado pelo agente Gustavo Mascardi, comprou 100% dos direitos econômicos de Dybala. Este agente tinha certa relação com o mercado brasileiro, negociando diversos atletas argentinos para clubes do país, como D’Alessandro para o Internacional, por exemplo.

Mascardi acabou vendo no Santos uma boa oportunidade de fazer o time como um “trampolim” de Dybala para a Europa, já que a equipe era por si só uma grande vitrine por abrigar nomes como Neymar e Paulo Henrique Ganso. No entanto, o modelo de negócio não foi considerado atrativo pela diretoria do Peixe, que teriam direito a um percentual reduzido em uma eventual venda. A falta de experiência do atleta em uma liga de alto nível também pesou para que a contratação não fosse realizada.

Pouco tempo depois, o Santos acabaria fechando com outra promessa argentina: Patito Rodríguez, do Independiente. Este acabou não fazendo tanto sucesso no mundo da bola quanto seu compatriota. Dybala foi vendido para o Palermo, da Itália, onde rapidamente se valorizou ao jogar ao lado de outros craques “em formação”, como Edison Cavani e Pastore.

Em 2015, foi contratado pela Juventus, onde permaneceu por sete temporadas. Após se transferir para a Velha Semhora, Dybala também acumulou 34 convocações para a seleção argentina.