Conheça a história de Serginho Chulapa, uma vida dedicada ao Santos

Serginho Chulapa é um dos grandes jogadores da história do futebol brasileiro. Atacante, conquistou idolatria de dois clubes paulistas: Santos e São Paulo. Serginho é o maior artilheiro da história do Tricolor Paulista, mas nunca escondeu que seu coração é santista.

Sérgio Bernardino nasceu em São Paulo, no dia 23 de dezembro de 1953. Desde criança, Serginho nunca escondeu seu amor pelo Alvinegro Praiano, ainda mais por crescer em uma época onde Pelé e companhia dominavam o futebol no Brasil.

Ele começou sua carreira como jogador de futebol no São Paulo, ingressando nas categorias do clube em 1970. Em 72, foi emprestado para o Marília, time do interior de SP. Voltou para o tricolor em 73, onde realizou sua estreia na equipe profissional. Começou como ponta esquerda, mas logo foi adaptado para centroavante pelo técnico José Poy.

Sua primeira passagem pelo Santos aconteceu em 1983, quando já possuia 29 anos. Em 84, viveu o que provavelmente foi seu maior momento no clube, marcando o gol do título do Campeonato Paulista daquele ano, onde o Peixe derrotou o Corinthians por 1 a 0. Serginho foi o artilheiro isolado da competição. Além disso, foi também artilheiro do Brasileirão e do Paulista de 83.

Chulapa teve outras três passagens intercaladas pelo Santos: em 1986, em 1988 e entre 1989 e 90. No total, anotou 104 gols em 202 jogos pelo clube. É o 21º maior artilheiro da história do Santos, e o 3º maior da era pós-Pelé. Serginho jogou sua última partida vestindo a camisa do Peixe no dia 2 de dezembro, em um empate diante do São Paulo por 1 a 1, pelo Campeonato Brasileiro no Morumbi.

Em 1994, a convite de Pepe, então treinador santista, Chulapa virou o auxiliar técnico do Santos. Ao ser demitido, o próprio Pepe sugeriu à diretoria que colocasse Serginho Chulapa em seu lugar. Este assumiu a equipe e permaneceu como técnico praticamente durante toda a temporada, sendo demitido após agredir com uma cabeçada um jornalista após uma derrota por 2 a 1 para o Corinthians.

Em agosto de 2001, após a demissão do técnico Geninho, Serginho Chulapa foi novamente efetivado no comando do Santos. Um mês depois, pediu demissão, alegando que não suportava mais as críticas a seu trabalho como técnico e gostaria de preservar a sua imagem diante dos torcedores.

Chulapa ficou afastado do clube no período em que Emerson Leão foi o treinador (2002-2004), mas retornou após a sua saída, deixando novamente o clube quando o técnico voltou ao clube, em 2008. Com a saída de Leão, voltou a ser auxiliar técnico e técnico interino em 2009. O ídolo santista permaneceu na comissão técnica do Peixe até agosto de 2022. Como técnico efetivo e interino, Serginho dirigiu o Santos em 73 partidas, tendo vencido 34, empatado 21 e perdido 18.