Como foi o reinado do time do Santos de Pelé?

É impossível falar da história do Santos sem falar de Pelé, o Rei do Futebol. Edson Arantes do Nascimento nasceu em Minas Gerais, na cidade de Três Corações, no dia 23 de outubro de 1940. Pelé começou a jogar no Peixe, logo aos quinze anos, no ano de 1956. Ele fez a sua estreia profissional em 7 de setembro do mesmo ano, contra o Corinthians de Santo André, onde marcou seu primeiro gol como profissional.

Já em 1957, o Rei se destacou no Torneio Rio-São Paulo, sendo o artilheiro da equipe junto com o ponta direita e também ídolo santista Dorval. O primeiro grande ano de Pelé foi em 1958 – marcado pela conquista da Copa do Mundo com a Seleção Brasileira com apenas 17 anos. Pelo Santos, o camisa 10 foi artilheiro ao lado de Pepe, com oito gols. Foi nesta competição que Pelé ganhou o apelido de “Rei”, após uma atuação fantástica contra o América, onde marcou quatro gols em uma vitória de 5 a 3. No mesmo ano, Pelé ganhou seu primeiro título expressivo com o Santos, que foi o Campeonato Paulista.

Nos anos 60, o Rei fez a festa no futebol brasileiro ao lado dos craques Pepe, Coutinho, Zito e Dorval. Foram 6 títulos do Campeonato Brasileiro, dois da Copa Libertadores, dois Mundiais de Clubes, 10 Campeonatos Paulistas, três Torneios Rio-São Paulo e uma Supercopa Sul-Americana. Foi sem sombra de dúvidas o clube mais dominante do país, e provavelmente do continente.

Não é à toa que o Santos da “Era Pelé” parou uma guerra. O fato ocorreu em 1969, na Nigéria. O país vivia o conflito conhecido como Guerra de Biafra, que durou entre 1967 e 1970 e causou a morte de milhões de pessoas. O Santos fazia excursão pela África e recebeu convite para jogar na Nigéria. Para chegar até o estádio Beni City em segurança, era preciso um cessar-fogo. Por isso, o conflito foi interrompido para que as pessoas pudessem ver o Santos de Pelé.

Resumindo, o reinado do Santos de Pelé foi mágico, dominante e inesquecível. O Rei foi o melhor jogador do mundo na época, e tinha ao seu lado companheiros talentosíssimos. 25 títulos em 18 anos não é para qualquer um.