Como explicar a decadência de craque com a camisa do Santos?

Que o Santos é uma máquina de revelar craques, não é surpresa para ninguém, entretanto, os jogadores que geralmente surgem na base santista, logo são vendidos para a Europa.

Um dos jogadores que mais encantaram o Brasil ao lado de Neymar, foi Paulo Henrique Ganso. O meia surgiu em 2008, um ano antes de Neymar subir para o profissional do Peixe.

Ganso, antes chamado de Paulo Henrique Lima, era um meia clássico, com grande passe e visão de jogo aguçada, logo chamou a atenção da torcida santista, mas foi em 2010 que o jogador ficou conhecido nacionalmente por seu talento.

De jóia a vilão, o que aconteceu com craque do Santos?

No primeiro semestre da temporada, a equipe do Santos ficou com o título do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, os destaques da equipe foram Neymar e Ganso, inclusive, sendo cotados para a Seleção Brasileira, do então técnico, Dunga.

A convocação não veio e, após a Copa do Mundo, o meia rompeu o ligamento do joelho esquerdo, ficando de fora do restante da temporada. Em 2011, recuperado de lesão, Ganso foi peça importante na campanha do tricampeonato da América, mas começou a apresentar oscilações em seu jogo.

Com sequências de lesões, Ganso jogou apenas 29 partidas de 51 possíveis em 2012, com a má fase na equipe santista, o jogador despertou o interesse do rival, São Paulo, com 32 dias de negociação, o meia foi vendido por R$23,9 milhões e deixou uma mágoa na nação santista.

Por muitos torcedores, Paulo Henrique Ganso é tratado como traidor, inclusive, em 2021, teve seu nome ventilado no time do Santos, sendo um pedido direto do então treinador da equipe, Fernando Diniz, entretanto, a repercussão foi negativa e as negociações foram encerradas.

Por outro lado, parte da torcida do Santos, perdoa Ganso e o considera ídolo da Clube, o meia, inclusive, vestiu a camisa do Santos em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2022, na Vila Belmiro.