Após brigas, Ricardo Oliveira e Fernando Prass se encontraram na fila do Banco

O Clássico da Saudade, entre Palmeiras e Santos, ficou marcado no ano de 2015 por conta da rivalidade entre o atacante Ricardo Oliveira, do Peixe, e o goleiro Fernando Prass, do Verdão. As duas equipes protagonizaram duas finais naquele ano, e os dois atletas, ambos atravessando uma grande fase, deram um “tempero” a mais para o clássico.

Os dois jogadores trocaram farpas por praticamente toda a temporada, mas um dos momentos mais marcantes foi quando Ricardo Oliveira, de maneira icônica e irreverente, comemorou um gol em cima do arqueiro fazendo uma careta.

E na final da Copa do Brasil, Prass deu o troco. O Palmeiras foi campeão da competição em cima do Peixe, depois de uma disputa de pênalti. Na comemoração do título, o elenco do Verdão usou uma máscara com a “careta” de Ricardo Oliveira.

Um ano depois, os jogadores acabaram tendo um encontro inusitado durante as férias. Prass e Ricardo se viram na fila de uma agência bancária e tiveram uma conversa amistosa, segundo o relato do camisa 1 palmeirense.

“Antes de me reapresentar, eu estava no banco com minha filha e o Ricardo estava na fila também. Conversamos normalmente. Não sou amigo do Ricardo, não conheço ele, mas respeito é normal”, relatou Prass em entrevista ao Sportv.

“Conversei com ele. O caixa do banco é palmeirense, vou sempre com ele lá e notei que estávamos conversando e ele olhou. Aí me viu saindo para o lado do Ricardo e ele deve ter dado um suspiro, mas foi tranquilo”, completou.

“Não adianta, em qualquer profissão, quando tem disputa, cada um tem sua maneira de jogar. O Ricardo é um cara que conhecidamente gosta de conversar, gosta de tentar destabilizar, ele conversa muito com o juiz, vai na catimba, e no jogo quente como estava as discussões acabam acontecendo. Mas o importante é que ficou dentro de campo”, finalizou Prass.