Afinal: Quem vai custear as reformas da Vila Belmiro?

No início desta semana, o Santos anunciou que assinou um contrato com a WTorre para a construção da nova Vila Belmiro, sonho antigo de todos os torcedores do Peixe.

Em entrevista para o ge.globo, o arquiteto Luiz Volpato, responsável pela concepção e execução do projeto, destacou que algumas mudanças nos planos foram feitas nos últimos meses, muito por conta de adequações no orçamento das obras.

“O projeto é o mesmo, a capacidade é a mesma, os materiais de acabamento e fachada são os mesmos. O que mudou significativamente e é o item mais relevante quanto ao custo foi a cobertura. Se não mexesse nela, não teria como chegar ao orçamento, então houve uma redução da cobertura.”, explicou.

Também é importante frisar que o clube não vendeu o estádio para a WTorre e nem para ninguém. No projeto, o Santos continuará como dono do terreno, mas cederá o uso da Vila Belmiro para a empresa pelo período de 30 anos, assim como o Palmeiras fez com o Allianz Parque.

O custo envolvido o projeto é de aproximadamente R$ 400 milhões. O dinheiro para a realização das obras virá da própria WTorre, através de investidores e outra parte virá da comercialização de produtos do novo estádio, como cadeiras cativas, camarotes e áreas comerciais.

Ainda não existe uma data para o início das obras, visto que será necessária uma arrecadação de R$ 200 milhões para o pontapé inicial. A expectativa das pessoas envolvidas no projeto é de que a atual Vila Belmiro seja demolida no começo de 2024. O cronograma de construção do novo estádio prevê um período de 24 a 30 meses de obras.

Veja algumas imagens da nova Vila Belmiro